quinta-feira, 20 de junho de 2013

Nos encontramos em 2015!

Intergastro & Trauma 2013 mais uma vez foi marcado por momentos especiais de aprendizado, trocas e convivência profissional. 

O próximo Intergastro & Trauma será em 2015, mas a Comissão Organizadora já está a postos para planejar um evento atendendo às expectativas e necessidades dos participantes. 

Com certeza, como sempre, buscaremos trazer as tendências em Aparelho Digestivo e Trauma, de uma forma prática e focada na realidade do profissional do interior.

Fique atento às novidades do Intergastro & Trauma em nossas redes sociais e até 2015!

terça-feira, 28 de maio de 2013

Boas recordações do IG&T 2013 - registro dos melhores momentos

Às vezes, fotos falam mais do que palavras.
Dr. Marcelo Camargo, presidente do Intergastro&Trauma,  encerrou o evento do ano, com um grande agradecimento a quem dedicou tempo e se dispôs a fazer o evento acontecer mais esse ano, em sua oitava edição: o Comitê Executivo e Comissão Científica, as instituições parceiras, os patrocinadores e apoios , os organizadores e pessoas envolvidas em sua realização.

Com uma grande sensação de dever cumprido, o encontro desse ano registrou mais de 700 participantes vindos de 87 cidades e 200 convidados.

Compartilhamos alguns momentos que queremos deixar como recordação.













Dr. Rogério Antunes Pereira, presidente da Comissão Organizadora dos 50 anos e
Decano da  primeira turma de medicina da Unicamp
Dr. Rogério Antunes Pereira emociona com a história da FCM - UNICAMP

No encerramento, as expectativas para o Intergastro &Trauma 2015, e a emoção do encontro dos 50 anos da Unicamp

Dr. Marcelo A. Camargo,
presidente do Intergastro & Trauma
Como disse  Dr. Marcelo A. Camargo, presidente do Intergastro & Trauma, fica um gosto de missão cumprida, e de queremos mais.

As ideias para o próximo IG&T, que acontecerá em 15 e 16 de maio de 2015, já estão surgindo com muita qualidade e inovação, fatores que possibilitam aprimorar o evento a cada ano. Esse novo planejamento já tem o apoio das comissões envolvidas, e dos patrocinadores que acreditam na proposta de capacitação e formação do profissional do interior do estado de São Paulo.


Dr. Marcelo aproveitou para agradecer todos os envolvidos na realização dessa edição, em toda a sua extensão. E compartilhou alguns números que comprovam o sucesso do evento.



Para finalizar, convidou o presidente da comissão organizadora das celebrações dos 50 anos da FCM - UNICAMP, Dr. Rogério Antunes Pereira. Ele fez um discurso emocionante, remetendo à história dos 50 anos da Faculdade de Medicina, seguida da foto dos ex-alunos reunidos no local e a assinatura do livro comemorativo. 


Assinatura do Livro dos 50 anos com registro dos alunos de cada turma desde a inauguração

                         A foto comemorativa :
 parte das celebrações dos 50 anos da FCM UNICAMP
Emoção nos detalhes da história da FCM UNICAMP
Dr. Rogério Antunes Pereira - FCM UNICAMP
Ex- alunos, familiares, médicos no encerramento do IG&T

prêmio entregue pela Campinas Seguros para a vencedora do sorteio

A comissão organizadora do IG&T



Transtornos alimentares: Como eu trato?

Dr. Alexandre Pinto de Azevedo ( USP/SP)

O painel  Transtornos alimentares: Como eu trato?  encerrou a V Jornada de Nutrição em Aparelho Digestivo e Trauma do IGT2013.  Dr. Alexandre Pinto de Azevedo ( USP/SP),  com o tema Compulsão Alimentar Periódica, Síndrome Alimentar Noturna e sua Relação com a Obesidade iniciou as apresentações

Métodos diagnósticos que definem a compulsão: diagnóstico é pela anamnese, subjetiva, portanto. A subjetividade dos critérios diagnósticos  favorece uma variação grande entre comunidades.

Um episódio de compulsão periódica alimentar - caracteriza-se por uma ingestão em um período limitado de tempo, com a sensação de que o paciente não tem controle sobre o que está comendo.

Mitos:
-O transtorno não acontece somente com impulsividade por doces. Pode ocorrer também com salgados, assim como com a combinação de alimentos doces e salgados em um único episódio.
- conceito de chocólatra -  comedor compulsivo  - lembra dependência: nenhum alimento pode determinar dependência.
- O comedor compulso possui o estômago maior que o não compulsivo, na verdade ele possui maior tolerância à  distensão gástrica, sem sentir dor.

Os episódios de compulsão periódica estão associados com três ou mais dos seguintes critérios:
-comer muito mais rápido que o normal, até se sentir incomodamente repleto.
-comer grande quantidade de alimentos quando não fisicamente faminto.
-comer sozinho por constrangimento.
-sentir repulsa por si mesmo
-acentuada angústia relativa a compulsão periódica
-paciente se sente fracassado, pela falta de controle.

A compulsão periódica ocorre em média, pelo menos 2 dias por semana, por 6 meses.

TCAP e Obesidade
- 8% dos obesos na comunidade apresenta TCAP (Transtorno de compulsão alimentar periódica)
- Entre 20 e 30% dos obesos em tratamento clinico apresentam TCAP.
- Entre 40 e 50% em obesos grau III - os obesos possuem um sofrimento psíquico maior.
- Quanto maior o grau de obesidade, maior o grau de TCAP.
- Equipes de avaliação pré-operatória, devem ficar atentos à presença de TCAP.
- 60% dos obesos com TCAP, provavelmente possui outro diagnóstico psiquiátrico, (28% em obesos sem TCAP).

Síndrome alimentar noturna - ataque noturno a geladeira, por muito tempo ela foi entendida assim.-episódio de compulsão alimentar a noite - episódio de TCAP, que ocorre de madrugada .

Caracterizados por: voracidade, concentrados no período da noite, e em despertares durante a madrugada.
Há uma alteração do ritmo cercadiano entre o apetite.

Estudos mostram que a sensação de fome costuma acontecer entre meio dia e 3h00 da tarde ( fome fisiológica). Na Síndrome Alimentar Noturna há o deslocamento desse padrão, ocorrendo uma sensação de fome maior após as 18h00. Dessa forma, no período da manhã, o paciente não possui sensação de fome, realizando sua primeira refeição por volta de meio dia.

Há um aumento significativo da ingestão alimentar ao anoitecer ou a noite, manifestado por pelo menos 25% do consumo alimentar ocorrendo após o jantar, pelo menos dois episódios por semana de consumo alimentar durante despertares do sono, que podem ocorrer até 6 vezes durante a noite.

Os pacientes possuem consciência total durante o episódio de consumo alimentar e lembrança total do evento na manhã seguinte. Ele come porque tem necessidade. Insônia inicial ou intermediária está presente em pelo menos 4 noites por semana, com a crença de que é necessário comer para iniciar ou reiniciar o sono. Possui humor frequentemente entristecido ao anoitecer ou ao amanhecer.

O horário que conseguimos permanecer em período maior de jejum é a noite, e  usualmente não acordamos com sensação de fome. A Leptina está no topo, promovendo a saciedade, mas o portador de SAN não consegue atingir. A melatonina, por sua vez, atinge picos maiores durante a noite, desaparecendo ao amanhecer, nos portafores de SAN, encontra-se um desquilíbrio.

Na sequência,  Dra Marcela Kotait (USP São Paulo) apresentou a Abordagem nutricional no
Dra Marcela Kotait (USP São Paulo) 
tratamento da anorexia e bulimia.


Transtornos alimentares são transtornos psiquiátrico. O nutricionista suspeita , mas quem fecha o diagnóstico é o médico.

A equipe multidisciplinar de tratamento deve ser composta por médico psiquiatra, psicólogo, educador físico
fisioterapeuta e nutricionista.

O papel do nutricionista é orientar a terapia nutricional, com o foco de propor modificações do consumo, padrão e atitudes alimentares. O objetivo é adequar a ingestão de energia.

Atitudes alimentares
Pensamentos, comportamentos, sentimentos, crenças - a queixa está enraizada nas dificuldades das atitudes alimentares (ingestão que independe dos estados de fome e saciedade , não atende as necessidades fisiológicas.).Muitas vezes vão independer de fatos ou evidências, são irracionais, obsessivas.
A educação nutricional será importante, mas não suficiente muitas vezes. A desinformação é diferente de uma crença disfuncional distorcida, é importante ir além disso.

É necessário realizar uma boa avaliação - o diário alimentar é importante, pois favorece a consciência
alimentar , envolvendo aspectos como a duração da refeição, a quantidade de alimento, compulsão, onde se alimentou, com quem? nota de fome ( 0 a 10 ), relembrá-lo dos sentimentos de saciedade, sentimentos e pensamentos do momento, relacionando horários, fome, sentimento.

O plano alimentar é diferente de dieta, (alta restrição). Profissional e paciente  traçarão juntos o plano, é feito em conjunto, com metas possíveis, não é imposto autoritariamente.

A hospitalização é uma modalidade de tratamento -  acontecem a maioria das vezes para Anorexia nervosa e Bulimia nervosa, quando não há ganho de peso, entre outros fatores. A hospitalização é de alto custo, pois deve ter equipe altamente treinada, supervisão constante, nos repousos, pós refeições, controle de atividades físicas, acompanhamento da refeição e do uso do banheiro. A equipe deve ser bem treinada.

Com o sucesso do tratamento,o paciente volta ao tratamento ambulatorial. Se consumindo com moderação e com o tamanho de porção adequado,  aliado a atividade física regular, todos os alimentos podem fazer parte de uma dieta saudável.

Para o sucesso do tratamento, é  fundamental estabelecer um bom vínculo com o paciente, que pode demorar de 4 a 6 semanas. Para isso, o profissional deve ter habilidade no aconselhamento, atitude empática, de não julgamento. É importante que o profissional aprofunde seus conhecimentos de psicologia, entendendo a abordagem psicoterapeutica.

 Terapia nutricional - Atributos mais importantes do profissional :
-reconhecer os sintomas dos pacientes.
-avaliar os aspectos alimentares atuais do paciente.
-estimar e determinar uma meta de peso apropriada.
-ajudar o paciente a normalizar sua atitude alimentar.
-dar suporte ao paciente enquanto ele tenta novas atitudes alimentares.
-ajudar o paciente a entender a conexão entre as emoções e atitudes alimentares.
-ensinar o paciente como manter  um peso corporal saudável.
-trabalhar com os outros profissionais no tratamento.


Cirurgia Bariátrica: Atualização em Técnicas Cirúrgicas


Dr Admar Concon Filho ( Valinhos)
 O painel Cirurgia Bariátrica: Atualização em Técnicas Cirúrgicas trouxe aos participantes uma visão geral sobre as técnicas e critérios para indicações.

Dr. Ademar Concon Filho (Valinhos), inicia a apresentação de seu tema:  A escolha da técnica: Quais critérios para diferentes pacientes? mostrando dados sobre a situação da Obesidade no Brasil e no Mundo.

No cenário Brasil, ( de acordo com a SBCBM- Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica), em 2007 foram registrados com:
sobrepeso: 63.555.180 pessoas
Obesidade: 15.079.000 pessoas
Obesidade Mórbida: 3.739.000 pessoas

Nos EUA: 10 milhões de pessoas são portadoras de Obesidade Mórbida.
As internações para Cirurgia Bariátrica cresceram sete vezes entre 1996 e 2002.
A Cirurgia Bariátrica minimamente invasiva cresceu de 9,4% para 71%. As técnicas minimamente invasivas reduziram algumas complicações, além do tempo de permanência hospitalar.

A Cirurgia Bariátrica é o melhor tratamento da Obesidade Mórbida. Escolher a operação certa continua ser um desafio e é subjetivo. Não existe uma melhor cirurgia para todos os pacientes. Há poucas evidências quando comparamos diferentes procedimentos bariátricos.

Sobre a Cirurgia Bariátrica e a Diabetes mellitus tipo 2 ( DM2) , registra-se que a mortalidade devido ao Diabetes reduz em 92%. A cirurgia induz a redução de peso, com mudanças na sensibilidade à insulina e na função da célula beta. A taxa de remissão do Diabetes é maior em procedimentos que induzem às maiores perdas de peso.

A GYR ( Gastroplastia em Y de Roux) está estabelecida como terapia segura e eficaz para a Obesidade Mórbida e suas comorbidades. Nenhuma outra terapia tem produzido controle tão completo e eficaz do DM2. Prováveis causas: limitação de ingestão calórica, diminuição no consumo de carboidratos, exclusão do alimento do antro, duodeno e jejuno proximal pelo desvio; retardo de esvaziamento do estômago para o delgado; alimentos não digeridos completamente atingindo o jejuno médio.
A melhora do DM2 ocorre em poucos dias, muito antes da perda de peso ou da redução do tamanho dos adipócitos.
A melhora do DM2 é duradoura, mesmo para os que permanecem obesos. A cirurgia previne a progressão da intolerância ao carboidrato para DM2, retornando os pacientes ao estado euglicêmico. A melhora do DM2 é menor em pacientes idosos e que tenham doença há muito tempo, provavelmente devido a uma baixa reserva celular.

Em relação Cirurgia Bariátrica em Obesidade Extrema,( IMC > 50 kg/m²), atualmente, com o aumento exponencial dos superobesos candidatos à CB, é importante determinar o melhor tratamento cirúrgico para essa população. A cirurgia ideal deve ter baixa morbidade e mortalidade, alcançar significativa e duradoura perda de peso e proporcionar melhoras das comorbidades relacionadas à obesidade e promover a melhora da qualidade de vida.

Sobre a Cirurgia Bariátrica em crianças e adolescentes, há restrições para menores de 18 anos, sendo realizadas apenas em situações especiais e com acompanhamento na uma equipe multidisciplinar, de pediatra, pais ou responsáveis. A GV é uma cirurgia segura para adolescentes obesos mórbidos, com perda aproximada de 40% do excesso de peso em 6 a 12 meses de pós-operatório. Devido à baixa morbidade associada, deve ser considerada nessa faixa etária. A GV resulta em sucesso de perda de peso em mais de 90% dos pacientes pediátricos e mais de 70% das comorbidades serão resolvidas. Nas cirurgias para adolescentes, estudos a longo prazo ainda são necessários para avaliar a persistência da perda de peso e a maturação para a idade adulta.


O painel  também contou com a participação do Dr. Elinton Adami Chain ( UNICAMP) , com o tema: O Bypasss Gástrico ainda é o padrão ouro? Os aspectos técnicos influenciam nos resultados? , Dr Marcelo Zindel Salen (São Paulo)   -  Gastrectomia Vertical - O que existe de evidência? e Dr. Fábio Rodrigues Thuler (Americana) -  Como iniciar na cirurgia laparoscópica.
Após as apresentações, iniciou-se discussão com a participação da platéia.





Dr Raul Coimbra apresenta a importância do Registro de Trauma


A palestra "Registro de Trauma e Controle de Qualidade no Atendimento ao Traumatizado" foi apresentada pelo conferencista Dr Raul Coimbra, (Universidade de San Diego - CA), um dos profissionais com maior experiência no mundo nesse tema.

Dr Raul apresentou aos participantes a atual situação do Registro do Trauma: No Brasil, por exemplo, existem muitos marcadores de controle de qualidade, mas infelizmente na área médica, o trabalho ainda está iniciando e começará a ser implantado na tentativa de melhorar os resultados no hospital e medir a qualidade global dos serviços.

O trauma sai na frente para as demais áreas médicas em relação ao controle de qualidade. Nos EUA,por exemplo,  já se fala em controle de qualidade há mais de 20 anos.

Mas qual a motivação para medir o resultado do que fazemos?
Com os resultados, podemos servir melhor a população e  mais pessoas podem sobreviver. Mensurando a qualidade, pode-se melhorar também a performance do time, tornando-os altamente eficientes e funcionais.

Dr Raul apresenta o exemplo de San Diego, onde o número de mortes preveníveis ou evitáveis foi a motivação para a implantação de um controle de qualidade, reduzindo-se de 14 para 2 a 3% as mortes evitáveis em trauma. Atualmente os dados registram um número menor que 1%.

"Se não coletamos os dados, não podemos controlar a qualidade" , diz Dr. Raul.

O registro de trauma é uma coleção de dados: demográficos, dados clínicos, medidas de prevenção, medidas globais de qualidade.Com os dados, faz-se uma avaliação contínua da performance. Um time mede tudo o que é feito em todos os minutos.

Por exemplo: Como o médico comporta-se em relação ao atendimento? Com qual qualidade é realizado o tratamento? ( em relação a tempos), os óbitos são preveníveis? A análise das complicações, provedores de tratamento, médicos e enfermeiros, complicações relacionadas ao sistema de suporte, complicações relacionadas ao paciente. Houve erro no diagnóstico, no tratamento? etc.

O objetivo é detectar oportunidades para melhorar cada vez mais.Um sistema de trauma diminui a mortalidade e reflete o comprometimento dos que construíram o sistema.

Dr Raul ressalta a importância de aprender uns com os outros. Nos EUA, abrem-se os dados para todos e sabe-se das complicações dos outros hospitais e centros de trauma para desenvolver protocolos que possam ser implantados no sistema como um todo e aprender com os erros.

Nos EUA, os dados são submetidos para uma base nacional, -  o  National Trauma data banking ( NTDB)  ,no qual cada hospital pode acompanhar a posição no ranking em que encontra-se,  verificando realmente qual a performance de seu hospital em relação ao país.

O Brasil já está avançando na implantação do registro. Juntamente com o Ministério da Saúde, estão a SBAIT ( Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado), Colégio de Cirurgiões e entidades que  poderão ajudar o governo a desenvolver políticas de saúde focadas ao trauma. Sete hospitais a princípio, implantarão o Registro de Trauma no Brasil .




segunda-feira, 27 de maio de 2013

Atualidades em HIV - um dos temas de destaque da V Jornada de Nutrição do IG&T 2013

A V Jornada de Nutrição em Aparelho Digestivo e Trauma do IG&T 2013 reiniciou o segundo dia de trabalhos com um dos temas de destaque de sua programação científica: Atualidades em HIV.

Dr. Christian Cruz Hofling
 (HM Mario Gatti / UNICAMP) 
Dr. Christian Cruz Hofling (HM Mario Gatti / UNICAMP), iniciou sua  palestra apresentando dados sobre o Virus da imunodeficiencia humana. No mundo, em  2011 - registrava-se 34 milhões de pessoas infectadas, sendo a África a região mais cometida pela doença, com cerca de 330.000 crianças diagnosticadas, contendo, inclusive, um número de óbitos alto. Em segundo lugar temos a América latina, com aroximadamente 1.4 milhões de casos.

A epidemia começou em 1982. Na Unicamp foi descrito o primeiro caso. Desde então, observou-se um grande aumento. O exame diagnóstico veio em 1985. Naquele momento, a proporção era maior em homens, cerca de 40/45 homens para cada mulher.

Ao longo do tempo, com as campanhas, o número de homens diminuiu, hoje está em 2/ 1 casos de homem para cada mulher infectada. Atualmente, o objetivo é  integrar o maior número de pessoas no tratamento antiviral e prevenção, a fim de diminuir o número de casos e mortes.

No Brasil: Em São Paulo, a  taxa de incidência - número de casos novos por ano -por taxa de exposicão , aponta que o uso de droga é baixo entre as mulheres e que o número de óbitos diminuiu ao longo do tempo. Casos novos continuam existindo e o número de pessoas que continuam vivendo com HIV / Aids aumentou. 100.000. A região sudeste possui 50% dos casos. A Região norte e nordeste lidera o aumento do número de casos novos,  um dado que preocupa.

Em 2010, a taxa de incidência de acordo com a faixa etária - registrou uma diminuição de casos entre os mais jovens - 25 e 39 anos, porém, novos casos aumentaram entre os mais idosos, tanto em homens e mulheres.

Conclui-se , portanto que, atualmente observa-se uma queda na taxa de incidencia  com aumento na região norte, aumento de pessoas vivendo com aids -  estabilidade relação homem/, mulher , aumento de casos extremos de idade ( mais jovens e idosos) e queda na transmissão vertical.

Sobre a terapia  retroviral:
- recomenda-se que, após iníciada a medicação, ela não seja interrompida. Seu uso deve ser regular e para toda a vida.
-Outro objetivo da terapia retroviral, além do problema indireto, da imunodeficiência, é combater a persistência da  reprodução viral, que causa uma inflamação, pois o corpo fica o tempo inteiro lutando contra o vírus. provocando um envelhecimento mais precoce no indivíduo.
- Eliminar a transmissão vertical ( por meio da amamentação), pois sabe-se que a diminuição da carga viral diminui muito a transmissão para o feto. O Objetivo da OMS é tratar as mães para que não transmitam aos filhos.
- Acesso a medicações retrovirais
-Controla o HIV, diminui a incidência de causas de tuberculose, uma das que mais acometem os pacientes do HIV.

Atualidades em HIV:
- Prevenção da Aids, focada no uso de preservativo.
objetivo: início precoce, prevenindo as infecções -  a redução da carga viral diminui o processo inflamatório.
- Mudança de paradigma em vários países - monitorando a carga viral - a carga elevada não era o fator para início do tratamento. A prevenção agora é considerada uma forma de tratamento.
- Uso de antiretroviral precoce: reduz a transmissão. Todos os pacientes HIV positivos devem ser iniciados na terapia com antiretroviral, mesmo com as consequências e efeitos tóxicos no paciente. Essa abordagem a longo prazo pode diminuir a transmissão, e , a longo prazo, há a previsão que a transmissao se reduza e a doença se erradique.

A profilaxia pós-exposição é um ponto polêmico:  Qual o impacto dessa ação?O paciente possui o prazo de 2 horas a no máximo 72 horas para iniciar o tratamento com antiretroviral. O argumento é que houve redução na taxa de transmissão..

- Profilaxia pré-exposição - focada nos pacientes de risco, pacientes com vida sexual ativa sem proteção.  Três trabalhos do New England mostram que esse tipo de abordagem foi bastante eficaz em homens,  mas os resultados foram conflitantes em relação às mulheres, pois não houve um impacto como o ocorrido com os homens. Quais os efeitos a longo prazo? qual seria o impacto na resistência do vírus? São questões ainda sem resposta. Apenas sabe-se que essa é uma nova ferramenta a ser utilizada.

-Cura da Aids - Primeiro caso de cura ocorreu em um paciente HIV positivo com leucemia, Foi realizado  o transplante de medula óssea com receptor resistente ao virus.

- Vacinas- foi suspenso o estudo por falta de eficácia, que apresentou-se modesta.


Nutr. Nacle Naback Purcino,
 CR DST/AIDS –consultor do ministério da saúde
Na sequência, o Nutr. Nacle Naback Purcino,  (CR DST/AIDS –consultor do ministerio da saúde) apresentou o tema "Nutrição em HIV/AIDS e Atividade Física"  abordando de maneira geral o cenário do HIV atualmente, pois continua sendo um problema de saúde publica. No inicio, havia uma preocupação por parte das pessoas, parece que hoje o temor perdeu-se e as pessoas voltaram a ter comportamento de risco, não utilizando os preservativos, e aumento o uso da terapia do dia seguinte com antiretrovirais . Muito comum receber pacientes de 16 anos.
mesmo os pacientes que sabem que possuem o virus, continuam tendo comportamento de risco.

Em relação à atividade física, Nacle ressalta que o exercício é muito importante para os pacientes, mas, se executado de forma errada pode prejudicar. Para ele, o início do tratamento deve considerar o estágio da infecção, se o paciente já possui doenças oportunistas , seu estilo de vida, e atividade física habitual.

O sistema imunológico depende de proteínas, portanto, é fundamental utilizar proteínas de boa qualidade. A água é essencial pra prevenir doenças renais.
Praticas indesejáveis - evitar alimentos gordurosos, recomenda-se o uso restrito de gorduras saturadas, evitar dietas da moda, que podem comprometer o sistema imunológico.
Evitar consumo excessivo de doces, pois favorece o depósito de gordura abdominal.
Orientações dietéticas adequadas possibilitam a adoção de práticas alimentares saudáveis, duráveis e seguras, que contribuem para a prevenção de doenças.

A indicação de suplementação nutricional voltada à atividade física deve ser avaliada de acordo com o objetivo: atividade física ou treinamento?

Atividade Física
Indicações

Todo profissional de saúde pode orientar os pacientes para que pratiquem ao menos 30 minutos de atividade física moderada 5 vezes por semana ou 20 minutos de atividade física vigorosa 3 vezes por semana.

benefícios:
- Melhora da qualidade de vida, capacidade cardiorrespiratória e força muscular.
- Prevenção da Osteoporose.
- Controle de peso, diabetes e dislipidemia.
- Melhora transitória do sistema imunológico.
- menor incidência de estresse e depressão.
- melhora do estado nutricional ( IMC)
- Melhora da composição e imagem corporal.

Contraindicações:
- Imunodeficiência avançada na presença e infecção oportunista.
- Presença de comorbidades que contraindiquem a sua prática ( hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus tipo 2 não controladas.
- Hepatopatia grave com plaquetopenia ( risco de sangramento).
- Alto risco cardiovascular ou outras situações clínicas a serem analisadas pelo médico do paciente.

Nacle encerra sua apresentação com uma mensagem:
"a vida não é só remédio, é comida, diversão e arte" 

Uma reflexão para que os pacientes motivem-se a ter um estilo de vida saudável, alegre, pois o relacionamento pessoal, auto-estima, o trabalho, pode ser motivo de adoecimento das pessoas.
,








Simpósio de Terapia por Pressão Negativa

Dr. Carlos Mesquita ( Coimbra, Portugal)
 O  SIMPÓSIO DE TERAPIA POR PRESSÃO NEGATIVA ,  realizado no dia 24 de maio, proporcionou a profissionais de Medicina e Enfermagem, a apresentação  dos benefícios da Terapia por Pressão Negativa e os tipos de Trauma que podem ser tratados por esse procedimento.

Inicialmente, Dr. Gustavo Fraga, presidente da SBAIT( Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) ressaltou a importância da presença de vários Centros e Entidades de todo o Brasil e de profissionais de várias áreas mostrando a importância do trabalho multidisciplinar, destacando que os profissionais estão sempre atentos a inovações tecnológicas que visem o sucesso do tratamento aos pacientes. 


Com apresentação de casos clínicos do Brasil e do mundo,  palestrantes nacionais e internacionais
Dr. Fahim Anwar Hoabib
( Ft. Lauderdale; Florida EUA)
compartilharam com os presentes suas experiências e dicas em relação ao uso desse procedimento, que já é definido como uma forte tendência, devido aos resultados obtidos.



As apresentações contaram com uma ampla abordagem sobre o tema, enfocando as possibilidades de utilização da Terapia em em Peritoniostomias e no períneo, em Feridas, com uma abordagem multidisciplinar e também sobre o uso da terapia em casos de feridas complexas de partes moles. 

Após cada apresentação, houve discussão com participação da platéia, que mostrou-se interessada por conhecer as diversas possibilidades de uso da terapia por pressão negativa. 















Endoscopia Digestiva - Discussão de Videocasos Interativos

A sessão de Videocasos interativos, da Endoscopia Digestiva, propiciou aos participantes a oportunidade de compartilhar experiências, questionar os colegas e sanar dúvidas em torno dos temas apresentados:

 Doença Inflamatória Intestinal
 video -RCUI -  Pancromoscopia
 Dra Maria Cristina Sartor (HC – Universidade Federal do Paraná) -



 Neoplasia de Cólon – Colocação de Prótese
video - Prótese Metálica Auto-Expansiva em Neoplasia do Cólon.
Dr. Marco Aurélio D’Assunção (São Paulo)




 Hemorragia Digestiva Alta
Leonardo Trevisan Monici (UNICAMP) -


 Ingestão de Corpo Estranho - 
Nelson Yuji Takahashi ( FM Santa Casa de SP) -




Icterícia Obstrutiva Maligna
Ciro Garcia Montes (UNICAMP)





Lesão Subepitelial Gástrica – Ecoendoscopia
Ana Carolina F. Castro (Centro Franco Brasileiro de Ecoendoscopia)


Prêmio Intergrastro & Trauma -

Uma das inovações do Intergastro & Trauma esse foi a criação do Prêmio IG&T 2013 - um incentivo e reconhecimento  ligados ao Aparelho Digestivo e Trauma ou das subáreas destas especialidades.

A exposição dos trabalhos para a banca e convidados foi realizada no último sábado (25), e teve a apresentação dos projetos ligados ao Aparelho Digestivo e Trauma ou de subáreas destas especialidades feitas por seus autores.

banca examinadora, da esquerda para a direita:
Dr. José Mauro, Dr. Carlos Martinez,
dra. Maria Ap. Henry e dr. Marco A. D'Assunção
A entrega dos prêmios foi feita no encerramento do IG&T. Nós agradecemos aos componentes da banca examinadora, Dr. Marco Aurélio D´Assunção (SOBED), Dra. Maria Aparecida Arruda Henry ((FCMBB - Botucatu), Dr. José Mauro da Silva Rodrigues (PUCC Sorocaba e Carlos Augusto Real Martinez (USF Bragança Paulista), que nos auxiliaram na difícil tarefa de selecionar os projetos vencedores.

Os dois projetos vencedores serão publicados na Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões ou nos Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva).



  • 1º lugar: Amanda Pinter Carvalheiro da Silva, com o trabalho "Avaliação da Cirurgia Laparoscópica anti-refluxo nos portadores de sintomas estraesofágicos relacionados à asma na doença de refluxo gastroesofagiano".
  • Amanda recebe o certificado das mãos da dra. Bianca Sodré.
    Larissa Arias recebe o certificado pelo segundo lugar.
  • 2º lugar: Larissa Berbert Arias, com o trabalho "Qualidade de vida em portadores de reservatório ileal por retocolite ulcerativa".
Parabéns aos vencedores e aos demais participantes!

Terapia a Vácuo - Um dos temas de destaque da V Jornada de Enfermagem em Aparelho Digestivo e Trauma

Dr. Fahim Anwar Habib, (Ft. Lauderdale, Florida – EUA)
Inovações no Tratamento de Lesões: Terapia a Vácuo foi o tema de abertura da programação científica da V Jornada em Aparelho Digestivo e Trauma.

A mesa-redonda, presidida por Carlos Alberto Fagundes (Universidade Federal do Espírito Santo – Vitória/ES), teve como moderadores  Renata Fini (Campinas) e Dr. Guilherme Cardinalli Barreiro (USP São Paulo).

Michel Szamszoryk (São Paulo)
Iniciando as apresentações, Dr. Fahim Anwar Habib, cirurgião do Trauma, (Ft. Lauderdale, Florida – EUA)  abordou o tema:  Indicação de Terapia a Vácuo em Lesões Traumáticas, apresentando aos profissionais de enfermagem, por meio de diversos casos, os potenciais usos e    benefícios da terapia a vácuo.

O uso do Terapia a Vácuo ( VAC)  nas feridas vem revolucionando as técnicas de tratamento por uma série de aspectos técnicos, facilitando o controle da infecção das feridas, diminuindo o tempo de internação dos pacientes, com um conforto maior para o paciente durante o manuseio.

Dr. Sizenando Vieira Starling (Belo Horizonte)



Em seguida, os participantes puderam assistir novas abordagens sobre o tema, com Michel Szamszoryk (São Paulo) com a apresentação: Fístulas: Indicação e Contra-Indicação de Terapia a Vácuo e Dr. Sizenando Vieira Starling (Belo Horizonte), tratando sobre Terapia a Vácuo em Peritoneostomia.

Cerca de 100 profissionais participam da Jornada de Enfermagem no IG&T 2013. 

Participantes da V Jornada  de Enfermagem em Aparelho
Digestivo e Trauma

sábado, 25 de maio de 2013

DDW - um breve resumo do evento americano no cenário do IG&T2013

Marco Aurélio D’Assunção (São Paulo
De 18 a 21 de maio, o Orange County Convention Center em Orlando FL sediou o DDW2012 - Digestive Disease Week, que teve a presença de vários profissionais de nosso círculo, entre eles o dr, Marco Aurélio D’Assunção (São Paulo) .

Ele fez um resumo para os presentes, comentando as novidades apresentadas nessa ocasião, e citou alguns dos trabalhos lá apresentados, entre os quais o de William Kessler (Indianopolis University) comparando tratamentos  ligadura elástica x ligadura e-elástica + mucosectomia.para controle de refluxo e de DRGE, além do trabalho de Megaesôfago (POEM) apresentado pelo dr. Daniel Rentelli .

Workshop Nutrição e Acessos em Pediatria: Aspectos Práticos e Condutas

O Workshop Multidisciplinar Nutrição e Acessos em Pediatria: Aspectos Práticos e Condutas, propiciou aos profissionais de Medicina, Nutrição e Enfermagem a  discussão de questões práticas baseadas em casos clínicos.

No segundo momento, os participantes dividiram-se em estações de trabalho que abordaram aspectos como Avaliação Nutricional, Indicação de Terapia Nutricional, Prescrição de Suporte Nutricional, Administração ( Vias de acesso) e Manejo de Complicações Relacionadas, apresentando, na prática, a  importância do trabalho multidisciplinar, envolvendo Nutrição, Pediatria e Enfermagem, visando o sucesso do tratamento dos pacientes. 

Estação - Acessos enterais

Estação : Acessos Enterais

Estação: Acessos Enterais

Estação: Acessos Enterais

Estação: Acessos Enterais

Estação: Acessos Parenterais

Estação: Dietas Enterais e Fórmulas Infantis