segunda-feira, 29 de maio de 2017

Prevenção ganha destaque em jornada e simpósio realizados pela SBAIT e pelo CoBraLT


Discussões fizeram parte da programação do Campinas 2017
Os trabalhos de prevenção da SBAIT e do CoBraLT foram destaque no Campinas 2017, durante a II jornada de Prevenção ao Trauma e o II Simpósio Internacional do Programa P.A.R.T.Y.. Entre os destaques da programação, estava a fundadora do P.A.R.T.Y. no Canadá, Joanne Banfield, que participou com duas conferências relacionadas à prevenção.

Joanne abriu a programação com uma conferência com o título “Prevenção de lesões: estamos fazendo o suficiente?”. Ao final do dia, ela fez uma nova explanação, mas desta vez sobre o P.A.R.T.Y.  e os resultados conquistados em seu país.
Fundadora do P.A.R.T.Y. no Canadá, Joanne Banfield
O diretor do Observatório Nacional de Segurança Viária, José Aurélio Ramalho, explicou o movimento Maio Amarelo, que tem como objetivo chamar a atenção da população sobre os altos índices de mortes e feridos no trânsito do mundo inteiro e a importância da prevenção.

José Aurélio Ramalho, diretor do Observatório Nacional de Segurança Viária 

Logo na sequência, o cirurgião Romeo Lages Simões falou sobre a importância do Simulado SBAIT de Atendimento a Múltiplas Vítimas, que está em sua terceira edição. Ele explicou que esta ação tem como objetivo treinar equipes de resgate e que a melhor forma de prevenir ocorrências com múltiplas vítimas é a educação.

O ex-presidente do CoBraLT, Paulo Klein, fez uma palestra sobre o Programa Salvando Vidas, desenvolvido pela entidade em parceria com a SBAIT. O programa envolve estudantes de ligas do trauma de todo o Brasil, com o objetivo de ensinar a população de forma geral a salvar vidas em diversos tipos de situações.

Paulo Klein, ex-presidente do CoBraLT, 
A representante do Ministério da Saúde Cheila Marina de Lima também participou do encontro, com a apresentação do projeto Vida no Trânsito, criado em 2010, para enfrentar a violência no trânsito. Ela destacou o impacto de ocorrências no trânsito para a saúde e para o SUS (Sistema Único de Saúde).

À estudante de medicina da Liga do Trauma da Unicamp (Universidade de Campinas), Marina Crubelatti, coube apresentar o P.A.R.T.Y. Brasil. Ela explicou que o programa canadense começou a ser executado aqui por dois motivos principais: os bons resultados em seu país de origem e as estatísticas de ocorrências de trânsito brasileiras. O programa chegou ao Brasil em 2008, na cidade de Ribeirão Preto. Ele foi trazido pelos médicos Ana Helena Parra e Sandro Scarpelini, ex-presidente da SBAIT. Em 2013, o PA.R.T.Y. passou a ser vinculado à SBAIT.

Débora Damasco também participou das apresentações falando do P.A.R.T.Y. e da parceria realizada entre o programa e a EMDEC (Empresa de Desenvolvimento de Campinas), que ela representa. A EMDEC é um importante parceiro do P.A.R.T.Y. em Campinas.

Débora Damasco, EMDEC
Ana Helena Parra 

Ana Helena Parra esteve no evento para explicar como montar um P.A.R.T.Y. no Brasil. É necessário seguir vários critérios, entre eles, assistir à realização de um outro P.A.R.T.Y. já em andamento. Também é fundamental realizar parcerias, com instituições como Bombeiros, Polícia Militar, etc.
Ao final, foi feita uma apresentação de dez programas de prevenção selecionados.

Confira imagens da II Jornada Internacional do Programa P.A.R.T.Y.

Nenhum comentário:

Postar um comentário